Loading...
Languages
Portuguese English Japanese Spanish
Mensagem Caio Yugo Akinaga

Olá , sou Caio Yugo Akinaga, tenho 17 anos.
Moro em São Paulo, Brasil.
Nesse ano,2015, tive a grande oportunidade de ir ao Japão. Com a ajuda do senhor Kato pude não somente visitar mas também "viver" o Japão. Durante a minha estadia permaneci em 3 famílias diferentes japonesas em um esquema muito similar ao intercâmbio( mais ou menos 1 semana em cada casa). Fio sensacional, ver o dia a dia das pessoas, seus hábitos e costumes. Para mim, isso foi muito divertido e aprendi muito, ainda, senhor Kato mantinha contato comigo para qualquer eventualidade, muito gentil de sua parte. Outra coisa que me impressionou foi a hippo family club. Todos os membros das famílias que eu fiquei faziam parte dessa organização. Ela tem como objetivo a conectar os japoneses com o mundo. Disso, atividades e encontros são constantes. Participei deles, foram muito divertidos. Essa experiência só foi capaz com a ajuda do Kato, gostaria muito de agradecê - lo do fundo do coração, muito obrigado.

Outros Assuntos
compartilhe!
Desenho da Buntatin

+++

JANELA DA ARTE CALIGRAFICA
JAPONESA

Museu Para Acalmar

 alt

Leilão Japan.PC

A Campanha de Auxílio aos Brasileiros no Japão   e  A  Assistência Social Don José Gaspar


  alt           Por YOSHINORI KATO: Diretor Admibistrativo do Centro de Auxílio aos
            Trabalhadores Brasileiros da N.G.O(Pessoa Jurídica Sem Fins Lucrativos
            Para Atividade Social)
           A nossa campanha de auxílio aos trabalhadores  brasileiros residentes no Japão (dekassegui) foi iniciado há 10 anos, justamente no meu tempo de estudante e junto com um colega que pertencia no grupo de pesquisa da Academia de Estudo Sobre a Emigração Além Mar.
         Os assuntos de consultas que vinham de todas as partes do Japão por vias celular eram  bem variados, tais como; despensa injusta, ferimento no serviço, mau trato no serviço, ingressos nos vários seguros, subsídio de parto, bolsa de estudo, recusa de ir a escola, acidente de transito, fundação de firma e muitos outros.
         Somos com pequena capacidade, mas nós, todos os membros da equipe estamos esforçando no sentido de servir alguma coisa para eles.
          Mudando de assunto, a Assistência Social Don José Gaspar de São Paulo  está apoiado por Comissão de Auxílio aos Brasileiros no Japão e também, ouvimos dizer que  esta  entidade está sob  controle de uma pessoa jurídica para a assistência social que   antigamente tinha ligação com  a Comissão de Auxílio que foi fundada pela falecida Senhora Margarida Watanabe que ativou grandemente para o auxílio dos japoneses que tornaram ao inimigo nacional daquela época.
         Agora, pensamos que, já não haveria quase nenhum japonês que conhece sobre o fato de os imigrantes japoneses no Brasil terem  enviados  tantas vezes os objetos de ajuda para o Japão, tais como; açúcar, leite em pó, além de grande quantidade de vestidos, panos, algodões e acolchoados. Esses todos, eram  sinais de  sentimento de todos dos japoneses residentes no Brasil, por não suportar mais ver pela miséria extrema do país onde nasceram. Essas remessas eram chamadas de “Objetos de Lara”  e  na cerimônia da comemoração de 100 anos da imigração dos japoneses no Brasil, foi festejado e agradecido pelas palavras do Imperador do Japão.
           Dizem que, a senhora Watanabe e outros, trabalhavam como centro da campanha, a fim de juntar todos desses “objetos de Lara” e depois de empacotá-los com as mãos próprias, foram despachados para o Japão. Os objetos que chegaram ao Japão, a partir do Ministério de Bem Estar iam  para cada uma das Províncias e daí  foram distribuídos principalmente para tais Asilos de Mãe e Filhos. Eu na época, após a chegada de Manchúria, já sem o pai, estava freqüentando a escola primária da cidade de Sendai, Província de Miyagui. Eu pousava junto com minha mãe num Asilo de Mãe e Filho e onde recebi aquele precioso donativo “Lara”. Como era no real momento da fome e da carência, até hoje lembro bem a verdadeira alegria e jubilo quando recebi os donativos. Atualmente quase ninguém  conhece estes fatos dentro dos brasileiros  que moram no Japão. Quando souberam este fato, eles também espantaram, brilhando os olhos. Eles diziam que quando souberam estes fatos de  os seus pais ou avôs fizeram  tantos benefícios para os japoneses, sentiram certos orgulhos e criou até alguma confiança em si, apesar de sentir algum preconceito em trabalhar como “dekassegui” no Japão. Recentemente fiquei admirado pela coincidência em saber que o senhor Sukehiro Aida também  antigamente foi beneficiado em receber aquele “Objeto Lara” em Tõkyo. O senhor Sukehiro Aida era meu precursor da faculdade, um dos pertencentes na administração da Assistência Social Don José Gaspar e atualmente está ajudando comigo como vice  diretor administrativo da Comissão de Auxílio.
         Atualmente, as pessoas idosas que pousam na Assistência Social Don José Gaspar  talvez já estarão conhecendo este objeto de auxílio “Lara” e  até possível ter as pessoas que cooperaram na campanha de assistência aos vítimas da guerra. Assim reconhecendo esta realidade, queremos que a maioria dos japoneses darem novamente algumas considerações para os trabalhadores nikkeis no Japão.
            Peço licença de falar sobre assunto individual que a minha mãe faleceu com 101 anos de idade em 2009.  A minha mãe era uma das pessoas que escreveu a carta de agradecimento ao Brasil sobre a remessa de objetos donativos, atendendo aos pedidos  da Província de Miyagui e  do Ministério de Bem Estar da época e ao saber a maneira de tantas satisfações manifestadas pelas pessoas favorecidas,   as copias desta carta foram anexadas na Guia da Campanha de Angariação de objetos donativos imprimindo no local da campanha. Esta guia estava guardada na mão da minha mãe que foi remetida de São Paulo pelo Sub-Comitê de Socorro ao Japão da época. Minha mãe, antes de falecer, falava sempre os nomes da senhora Watanabe, bem como da Liga das Senhoras Esperança, agradecendo. Ela aplaudia pela nossa Campanha de Auxílio e sempre falava de dar tantas importâncias e considerações aos brasileiros que trabalham aqui no Japão, sem esquecer aquelas  gratidões recebidas com as remessas de objetos “Lara” e também pelo fato de ter recebido os imigrantes japoneses tão calorosamente pelo aquele país que era o Brasil.     

(O tradutor em portugues : Jiro Okai)

<O original deste artigo foi escrito pelo Sr.Kato no Japao para o boletin"Coracao "da associacao Ikoinosono Zainichi Kyoryokukai  em 1/2011>

  

 


Siga a ONG Trabras no Twitter e fique sabendo em primeira mão tudo que acontece no Japão e receba Dicas para o seu Bem Estar, Leis Trabalhistas e muito mais!